"Os espelhos estão cheios de gente.
Os invisíveis nos vêem.
Os esquecidos se lembram de nós.
Quando nos vemos, os vemos.
Quando nos vamos, se vão?"
Eduardo Galeano: Espelhos

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Cegos

Como éramos vistos pela Europa no século dezesseis?

Pelos olhos de Theodor de Bry.

Esse artista de Liége, que nunca esteve na América, foi o primeiro a desenhar os habitantes do Novo Mundo.

Suas gravuras eram a tradução gráfica das crônicas dos conquistadores.

Pelo que essas imagens mostravam, a carne dos conquistadores europeus, dourada nas brasas, era o prato predileto dos selvagens americanos.

Canibais, Theodro de Bry

Eles devoravam braços, pernas, costelas e ventres e chupavam os dedos, sentados em círculo, diante das churrasqueiras ardentes.

Mas, e perdoe o incômodo: eram índios aqueles famintos de carne humana?

Nos gravados de De Bry, todos os índios eram carecas.

Na América, não havia nenhum índio careca.

GALEANO, Eduardo. O caçador de histórias. Porto Alegre: L&PM, 2016. p. 26.